Investigações Geotécnicas

As sondagens são investigações do subsolo sob a perspectiva de uma análise física, que precedem o desenvolvimento de qualquer projeto na construção civil, na exploração de jazidas minerais e outras obras que envolvam o conhecimento do terreno, visando segurança e viabilidade econômica do empreendimento.

Sondagem à Percussão


A Sondagem à Percussão é o ensaio mais utilizado na construção civil da maioria dos países e no Brasil foi normatizado pela ABNT na NBR 6484 “Solo – Sondagens de simples reconhecimento com SPT – Método de ensaio” (SPT- Standard Penetration Test), que permite a determinação do perfil geológico e a capacidade de carga das diferentes camadas do subsolo, a coleta de amostras destas camadas, a verificação do nível do lençol freático, a determinação da compacidade ou consistência dos solos arenosos ou argilosos, respectivamente e também a determinação de eventuais linhas de ruptura que possam ocorrer em subsuperfície.

Os resultados destas investigações de campo possibilitam a opção pelo tipo de fundação mais adequado e pelas exigências de seu dimensionamento ou, até mesmo, pela necessidade de estudos geológicos mais aprofundados.


SONDAGEM À PERCUSSÃO – PROCEDIMENTOS



A execução das sondagens à percussão segue as seguintes diretrizes:

Após um planejamento prévio dos trabalhos, considerando as características do terreno e tipo de obra, é determinada a quantidade e a posição dos pontos a serem sondados.

Em cada ponto de sondagem, monta-se uma torre (tripé), com altura em torno de 5 metros e um conjunto de roldanas e cordas, que auxiliará no manuseio da composição de hastes por força manual.

A amostra a zero metro é coletada e inicia-se a escavação com trado manual; na base do furo apóia-se o amostrador padrão acoplado a hastes de perfuração; marca-se na haste, com giz, um segmento de 45 cm dividido em trechos iguais de 15 cm; ergue-se o martelo padronizado ou “peso batente” de 65 kg até a altura de 75 cm e deixa-se cair em queda livre sobre a haste.

Tal procedimento é repetido até que o amostrador penetre 45 cm do solo; a soma do número de golpes necessários para a penetração do amostrador nos últimos 30 cm é o que dará o índice de resistência do solo na profundidade ensaiada ( Nspt ).

Caso o ensaio seja com torque ( SPT-T ), retira-se a cabeça de bater e acopla-se o adaptador de torque, para verificação das leituras dos torques máximo e residual, medidos em Kgf.m, com auxílio de um torquímetro.

Nas operações subsequentes de perfuração, intercaladas às operações de amostragem, utiliza-se o trado cavadeira ou o helicoidal até atingir o nível d’água ou até que o avanço seja inferior a 5 cm após 10 minutos de operação; nestes casos, passa-se ao método de perfuração por circulação de água (lavagem), utilizando-se um trépano como ferramenta de escavação, com bomba d’água motorizada para remoção do material.

O ensaio será interrompido quando já tiver atingido o critério técnico adequado para aquela obra ou atingir o impenetrável.

As amostras coletadas a cada metro são acondicionadas em recipientes, etiquetadas e enviadas ao laboratório para análise tátil-visual por geólogo especializado.

Sondagem Rotativa


Sondagem Rotativa é utilizada para perfuração e reconhecimento de rochas e solos, através de sondas rotativas, que permitem a retirada de testemunhos da rocha atravessada, recuperados através do barrilete, podendo atingir grandes profundidades. Este é o método direto de investigação mais completo a disposição da Geologia de Engenharia. Além do sondador especializado, a qualidade da sonda, com seus acessórios e ferramentas na execução da sondagem rotativa é muito importante, pois desta forma se consegue grande recuperação das amostras de rocha, por mais frágeis que sejam os materiais perfurados.

A GEOSITU possui em seu quadro de colaboradores, sondadores profissionais com larga experiência e qualificados na operação de sondas rotativas de diferentes portes e potências, além de novos equipamentos, como as sondas SONDEQ SS-25, SS-32 e SS-35N, viabilizando desta forma, as perfurações nos mais variados locais e nas diferentes especificações dos projetos.

As amostras extraídas ( testemunhos ) são analisadas por geólogo especializado e recebem classificação conforme a petrografia geral, levando em conta os parâmetros geotécnicos, como os graus de alteração, coerência, fraturamento, RQD “Rock Quality Designation”, indicativo da qualidade de maciços rochosos, classificação geológica e classificação de descontinuidades.

Os resultados das sondagens são apresentados em relatório, com planta do local e indicação dos pontos perfurados, perfis geológicos geotécnicos de cada sondagem, contendo as informações da obra, número, inclinação e rumo da sondagem, data de início e término, cota do furo e nível d’água quando encontrado, profundidade e cotas na vertical, diâmetros de sondagem e profundidade dos revestimentos, comprimento de cada manobra, número de golpes SPT ( quando solo ), recuperação dos testemunhos, alteração, coerência, fraturamento, RQD, descontinuidades, classificação e interpretação geológica.

Os testemunhos de rocha são acondicionados em caixas plásticas apropriadas, com separadores dos intervalos de manobras e colocados à disposição do cliente.