Ensaios Geotécnicos

O ensaio de permeabilidade em solos “in situ”, por rebaixamento, é executado no furo de sondagem, com utilização de tubo de revestimento de diâmetro Ø 21/2”, realizado conforme Boletim da ABGE – Associação Brasileira de Geologia de Engenharia e Ambiental.

Ensaio de Permeabilidade em Solos


O ensaio de permeabilidade em solos “in situ”, por rebaixamento, é executado no furo de sondagem, com utilização de tubo de revestimento de diâmetro Ø 21/2”, realizado conforme Boletim da ABGE – Associação Brasileira de Geologia de Engenharia e Ambiental.

As leituras de absorção são realizadas após saturação da camada do solo ensaiado (quando acima do nível d’água), com acompanhamento o rebaixamento do nível d’água em intervalos de tempo variados.

Com base nestas informações é apresentado o relatório, com indicação do Coeficiente de Permeabilidade K (cm/s), utilizado para cálculos na estimativa da vazão que percolará através do maciço e da fundação de barragens de terra, em obras de drenagem, rebaixamento de aqüíferos, adensamento e etc.


Ensaio de Percolação



O ensaio de percolação em solos é executado em cava de diâmetro 150mm, realizado conforme o Anexo A, da Norma da ABNT NBR 13969:1997 “Tanques sépticos – Unidades de tratamento complementar e disposição final dos efluentes líquidos – Projeto, construção e operação”.

Após a definição da área de infiltração, o reconhecimento das camadas de solo (áreas infiltrativas) e a verificação da presença de lençol freático, são executadas as cavas com trado de diâmetro 150mm. As leituras de abaixamento são realizadas após saturação da camada de solo à ser ensaiado, com períodos de 30 minutos.

Com base nestas informações é apresentado o relatório, com indicação da Taxa de percolação (min/m) e a Taxa de aplicação diária (m3/m2.dia), utilizada para cálculos de dimensionamento dos sistemas de tratamento de esgotos.

Ensaio de Perda d’Água


O ensaio de perda d’água é executado com a sonda rotativa e possibilita informações quantitativas sobre a circulação da água em rochas fissuradas, com o objetivo de analisar as possibilidades de consolidação por injeções.

O ensaio é realizado em trechos de comprimento “L”, isolado num furo de sondagem por obturadores, com injeção de água sob pressão, que é controlada por um manômetro e a descarga através de um hidrômetro, obtendo-se o volume injetado num certo intervalo de tempo.

Com base nestas informações é apresentado o relatório, com as pressões e vazões ensaiadas.

Poços de monitoramento



Os poços de monitoramento são utilizados em diversas circunstâncias e tem por objetivo obter amostras de água subterrânea a fim de se verificar, através das análises químicas e físico-químicas a qualidade hidrogeológicas e os seus índices de contaminação. Os serviços de inspeção e análise através dos poços de monitoramento também nos fornecem outros indicadores de contaminação, como PAH e BTEX no caso de hidrocarbonetos.

Comumente utilizada em área de disposição de resíduos sólidos poluentes, tipo aterros sanitários e lixões, postos de serviços de abastecimento para detecção de vazamentos, sendo que esses devem seguir rigorosamente as Normas da ABNT, segundo a NBR 13895.

A perfuração dos poços de monitoramento deve ser realizada com diâmetro mínimo de 100 mm e constituídos por revestimentos (PVC - Geomecânico ou Aço Inox – tubo liso) rosqueável, filtro de mesmo material com ranhuras variando entre 0,4 mm a 0,6 mm de abertura com extensão variável compreendendo o nível d’água, levando em consideração a variação sazonal da região e sua extremidade inferior deva ser fechada com tampa rosqueável.

O espaço anular entre a parede do furo na região do filtro deve ser preenchido com pré-filtro (material drenante e inerte), esse material é constituído de areia lavada e classificado tipo Jacareí com diâmetro de 3,00mm, estendendo-se 0,30 m abaixo e acima da extensão do filtro.

Ainda no espaço anular acima do pré-filtro deve ser cuidadosamente selado com bentonita e cimento com pouca areia para acabamento, evitando contaminação por escoamento superficial.

Os poços de monitoramento recebem tampa de ferro e cadeado, selado para proteção e instalado câmara de calçada, para futuras campanhas de coletas de água ou vapor para análises químicas.